Buscar

Como funciona a regulamentação dos créditos de energia solar?


Com o sistema fotovoltaico, é possível ter créditos de energia solar e economizar ainda mais em sua conta de luz. Saiba como funciona!


Uma das grandes vantagens do sistema fotovoltaico é, sem dúvidas, o sistema de compensação dos créditos de energia solar.

A explicação é simples: além de passar a produzir a própria energia (o que já garante economia na conta de luz), a regulamentação de créditos também oferece a chance de você poupar ainda mais e utilizar a rede pública de energia quando precisar.

Por isso, se você está interessado em investir em energia solar – seja para residências ou imóveis comerciais –, neste artigo vamos explicar detalhadamente como funciona essa regulamentação e como aderir a ela.

Vamos lá?

O que é a regulamentação dos créditos de energia solar?

A regulamentação dos créditos de energia solar faz parte do chamado sistema de compensação de energia elétrica, regulamentado em 2012 pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), por meio da Resolução Normativa 482.

Esse sistema funciona quando você instala a energia solar na modalidade On Grid. Vamos relembrar rapidamente como funciona essa modalidade?

No sistema On Grid, a energia solar é conectada à rede de eletricidade local, fazendo com que você não precise investir em baterias para o armazenamento da energia produzida.

Na prática, quando a sua energia solar não gera eletricidade suficiente para abastecer o imóvel (ou quando ele não gera eletricidade, como no período noturno), então automaticamente a distribuidora pública injeta energia nele. Ou seja, você não fica desabastecido.

Aí entra o sistema de créditos de energia solar.

Quando o seu sistema fotovoltaico produz mais energia do que o imóvel consome, essa eletricidade extra é injetada na rede pública e você ganha uma compensação por isso.

É importante dizer que essa regulamentação de créditos de energia solar está disponível tanto para pessoas físicas quanto jurídicas, cujos sistemas se enquadram em duas categorias:

  1. Microgeração de energia: sistemas que produzem até 75 kW (quilowatts);

  2. Minigeração de energia: sistemas que produzem de 75 kW a 5 MW (megawatts).

Como funciona na prática o retorno dos créditos de energia solar?

Bom, vimos até aqui que quando o seu imóvel consome mais energia do que o sistema produz, então a distribuidora vai injetar a eletricidade que falta – o que na prática, faz você continuar economizando na conta de luz, já que não utiliza mais toda a energia da rede pública.

Mas quando ocorre o inverso – ou seja, a energia solar produz mais do que o imóvel consumiu no mês –, então entra em ação o sistema de compensação. A energia excedente é injetada na rede pública e isso gera créditos em kWh (quilowatt-hora) para o seu imóvel.

Para cada kWh excedente, a mesma quantia é descontada na conta do mês seguinte, na proporção de 1 para 1. Esses créditos podem ser utilizados ao longo de 60 meses.

Por exemplo: vamos supor que a sua energia solar produziu 30 kWh extras, que não foram utilizados pelo imóvel.

Esses 30 kWh são injetados na rede pública de energia e retorna para você em forma de descontos que podem ser abatidos nas próximas contas.

Se na ocasião do desconto, o preço do kWh for de R$ 0,56, significa que o desconto total será de R$ 16,80, cujos valores poderão ser abatidos em até 60 meses.

Essa é uma grande vantagem, pois se o seu consumo aumenta em determinados períodos do ano, você pode utilizar esses créditos para abater as contas dessa época. Em outras palavras: a sua conta de energia pode praticamente zerar.

A medição do excedente de energia é feita por um relógio medidor, que é instalado pela distribuidora em seu imóvel, como veremos a seguir.

Como aderir ao sistema de créditos de energia solar?

Para aderir ao sistema de créditos de energia solar, é necessário fazer uma solicitação à distribuidora local de energia.

As etapas ocorrem da seguinte maneira:

  1. O sistema fotovoltaico é instalado no imóvel e ligado à distribuidora de energia.

  2. A pessoa formaliza um cadastro na distribuidora– e para isso, é necessário preencher formulários e entregar o projeto de instalação (esse projeto é fornecido pela empresa que instalou a sua energia solar).

  3. A distribuidora vai analisar o projeto de instalação e retornará com requisitos e exigências para que a sua energia solar seja enquadrada corretamente no sistema de créditos. Em geral, esse processo pode levar até 1 mês.

  4. Tudo aprovado, um técnico da distribuidora de energia vai ao local para uma vistoria.

  5. Em seguida, é instalado no local um relógio medidor já configurado para aferir a energia produzida e consumida mensalmente. Em uma semana, o seu sistema já está dentro da regulamentação dos créditos de energia solar.

E então? Pronto para aderir ao sistema fotovoltaico? Se depois de ler todos os benefícios do sistema de créditos de energia solar, e, mesmo assim, você ficou receoso por conta da burocracia, temos uma ótima notícia.

A nossa equipe da Reevisa está preparada para te ajudar em todas essas fases e trâmites para que você comece a sentir a grande economia que terá já nas primeiras semanas de uso da energia solar.

Por isso, entre em contato conosco agora mesmo!


78 visualizações
NOSSOS
TELEFONES

(48) 3626-8572

(48) 9 9104-1088

NOSSAS UNIDADES

Matriz Tubarão/SC: BR 101, Km 332

Filial Sombrio/SC: R. Padre João Reitz, n° 700

Filial Campo Bom/RS: Av. Carlos Strassburger, n° 5796

DE SEGUNDA
À SEXTA

08:00 às 12:00

13:30 às 18:00

SIGA-NOS
NOSSOS SERVIÇOS
ENCONTRE-NOS

Nossa matriz fica localizada nas margens da BR-101.

Rua Amarildo José da Rosa, 1830, Revoredo, Tubarão - SC, 88704-460

Nossas filiais estão localizadas nas cidades de Sombrio/SC e Campo Bom/RS.

 

PARCEIROS

© 2020 Reevisa Energia Solar